samedi 3 avril 2010

Por que o fantástico?


Coloco a seguir trecho do trabalho As estruturas narrativas, de Todorov, para refletirmos sobre a Literatua Fantástica:

"Por que o fantástico?

Tomemos uma série de temas que provocam freqüentemente a introdução de elementos sobrenaturais: o incesto, o amor homossexual, o amor a vários, a necrofilia, a sensualidade excessiva... O fantástico é um meio de combate contra uma e outra censura: os desencadeamentos sexuais são mais bem aceitos por qualquer espécie de censura se pudermos atribuí-los ao diabo.
Outro grupo de temas que provocam freqüentemente a aparição de elementos sobrenaturais se liga ao mundo da psicose e ao da droga.
A introdução de elementos sobrenaturais é um meio de evitar a condenação que a sociedade lança sobre a loucura. A função do sobrenatural é subtrair o texto à ação da lei e, por esse meio, transgredi-la.
[...]
O elemento maravilhoso é a matéria que melhor preenche a função de trazer uma modificação da situação precedente, romper o equilíbrio (ou o desequilíbrio). Ao mesmo tempo, é preciso dizer que essa modificação pode produzir-se por outros meios, se bem que esses sejam menos eficazes.
A relação do sobrenatural com a narração torna-se clara: todo texto fantástico é uma narrativa, pois o elemento sobrenatural modifica o equilíbrio anterior, ora, esta é a própria definição da narrativa; mas nem toda narrativa pertence ao maravilhoso.
A função social e a função literária do sobrenatural são uma única: trata-se da transgressão de uma lei. Seja no interior da vida social ou da narrativa, a intervenção do elemento maravilhoso constitui sempre uma ruptura no sistema de regras preestabelecidas, e acha nisso sua justificação."1
Agora pensem nesse estouro de literatura sobre vampiros e bruxos no mundo todo, existe semelhança entre ela e a Literatura Fantástica iniciada no século XVIII.

1 TODOROV, T. As estruturas narrativas. São Paulo: Perspectiva, 1970. (parte II, cap. 5).
Angelina.

Aucun commentaire:

Publier un commentaire