lundi 10 mars 2014

Oiseau e pássaro...

Existem alguns artistas plásticos e alguns escritores que vivem comigo no cotidiano e nestes dias re-lendo a poesia de Manoel de Barros fiquei a pensar no poema que compartinho com vocês: "A língua mãe".

Além do cheiro, do gosto, das cores que lembramos da infância ou do passado; há também as Palavras.

As palavras NOS expressam. As palavras são DESENHOS VERBAIS -como já disse Manoel de Barros-  no prefácio de Poesia Completa.


"A Língua Mãe
   Manoel de Barros 

Não sinto o mesmo gosto nas palavras:
Oiseau e pássaro.
Embora elas tenham o mesmo sentido.
Será pelo gosto que vem de mãe? de língua mãe?
Seria porque eu não tenha amor pela língua
de Flaubert?
Mas eu tenho.
(Faço este registro
porque tenho a estupefação
de não sentir a mesma riqueza as
palavras oiseau e pássaro)
Penso que seja porque a palavra pássaro em
mim repercute a infância.
E oiseau não repercute.
Penso que a palavra pássaro carrega até hoje
nela o menino que ia de tarde pra
debaixo das árvores a ouvir os pássaros.
Nas folhas daquelas árvores não tinham oiseaux
Só tinha pássaros.
É o que me ocorre sobre língua mãe."




Do livro: "O Fazedor de Amanhecer" de 2001.

Manoel de Barros nasceu em Cuiabá em 1916.
"Enquanto ainda escrevia Carlos Drummond de Andrade recusou o epíteto de maior poeta vivo do Brasil em favor de Manoel de Barros. Sua obra mais conhecida é o "Livro sobre Nada" de 1996." (Fonte Wikipédia) 



E para você, Oiseau repercute como a palavra Pássaro?


 Angelina Renard ^^


Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire